Mini-livro de oferta: O que é um RPG?

| 2 Comments

queeumrpg
Em Abril deste ano, Epidiah Ravachol lançou um mini-jogo chamado “What is a Roleplaying Game?” com o propósito de dar a quem não conhece os RPGs um primeiro contacto que seja fácil e rápido. Vendo neste pequeno texto uma bela oportunidade para criar algo que ajude a divulgar os RPGs, pedi ao João Mariano que traduzisse comigo este jogo e montei-o num formato de 8 mini-páginas. Basta imprimirem este PDF numa folha A4, fazerem um corte no meio e dobrarem a folha seguindo estas instruções que podem encontrar por toda a internet. Criem vários exemplares e levem-nos para oferecer nos encontros mensais de roleplayers. Guardem um no bolso para darem a quem vos perguntar “O que é um RPG?“.

Descarreguem aqui: “O que é um RPG?“, um mini-jogo de Epidiah Ravachol traduzido por João Mariano e Ricardo Tavares. Se quiserem saber mais sobre este autor, visitem o site da Dig a Thousand Holes.

O que é um RPG?

1. É algo que jogas enquanto conversas com os teus amigos. Junta mais duas ou três pessoas num sítio confortável durante uma meia-hora.

2. É explorares cenários que te intrigam ou te fascinam. Diz aos teus amigos que vão assumir o papel de ladrões que vão assaltar um banco e que têm o álibi perfeito: são astronautas que vão para o espaço ainda hoje.

3. É uma chance de imaginares ser alguém que não és. Perguntem uns aos outros três questões acerca do vosso astroladrão. Escolham um deles para ser o cérebro por detrás do assalto ao banco. Escolham outro para ser o comandante da missão espacial. Escolham um terceiro que secretamente está determinado em entregar-se às autoridades.

4. É celebrar estar metido em situações complicadas. Comecem as coisas in media res. Estabeleçam a cena como num filme. Os vossos astroladrões estão no banco no dia da sua ida para o espaço: máscaras vestidas e armas apontadas. Digam quem mais lá está, o que é que eles estão a fazer, e o que é que correu mal.

5. É sonharem acordados. Assim que a cena está estabelecida escolham um jogador para ser o foco. Todos os outros jogadores podem dizer o que é que qualquer outra personagem na história está a pensar ou a fazer nesse momento. Quer sejam empregados, polícias, seguranças, ou reféns todos podem ser escolhidos exceto o astroladrão de outro jogador.

6. É exercitar os teus instintos dramáticos. Discutam o que está a acontecer e o que toda a gente está a fazer até que alguém faça algo Difícil ou Danoso para alguém ou para ele próprio. Chamem-lhe à atenção se isso acontecer. Podem ajudar a fazer com que isto aconteça se disserem que o vosso astroladrão está a ser imprudente ou se disserem que as outras pessoas estão a ser de alguma forma corajosas, aguerridas ou carentes.

7. É um modo de se criarem coisas interessantes sem sequer repararem no que estão a fazer. Se chamarem à atenção de alguém devido a este estar a fazer uma coisa Difícil peçam a um terceiro jogador que vos diga o que é preciso acontecer antes que a tarefa possa ser realizada. Se chamarem à atenção de alguém devido a este estar a infligir Dano peçam a um terceiro jogador que vos diga quem foi atingido e qual foram as suas consequências. Se chamarem à atenção de alguém devido a este estar a fazer algo que é Difícil e que inflija Dano peçam a um terceiro jogador que vos diga como essa pessoa acabou de falhar no que se propôs fazer e colocou todo o grupo em perigo.

8. É algo que já tens vindo a fazer desde o início do jogo. Depois de uma cena acabar estabeleçam à vez novas cenas que tenham como foco outros astroladrões. Digam quem lá está e o que acabou de correr mal. Uma perseguição de carro, uma crise de reféns, uma paragem imprevista da carrinha que lhes traz os novos fatos de voo, ou um tiroteio na plataforma de lançamento? Escolham o que vos parecer ser o seguimento natural dos acontecimentos. O jogo acaba quando cada astroladrão eventualmente morrer, ir preso ou conseguir escapulir-se para o espaço.